“E, descendo ele do monte, seguiu-o uma grande multidão.  E, eis que veio um leproso, e o adorou, dizendo: Senhor, se quiseres, podes tornar-me limpo.  E Jesus, estendendo a mão, tocou-o, dizendo: Quero; sê limpo. E logo ficou purificado da lepra.  Disse-lhe então Jesus: Olha, não o digas a alguém, mas vai, mostra-te ao sacerdote, e apresenta a oferta que Moisés determinou, para lhes servir de testemunho”. Mt 8:1-4

     É maravilhoso ler sobre os milagres operados por Jesus, é mais maravilhoso ainda, conhecer o contexto por trás de cada milagre. Em cada milagre existe uma história a ser contada.  Por isso faz-se necessário verificar os elementos contextuais do texto.

      Segundo o Dicionário Bíblico Wycliffe: “O significado preciso da palavra lepra, tanto no AT como no NT, ainda está em discussão. É um termo bastante vago que, possivelmente, inclui a moderna doença que tem esse nome (Hanseníase). No AT, a palavra hebraica sara´ath, traduzida como “lepra” quer dizer: (1) uma condição escamosa da pele humana e de objetos inanimados; e, (2) uma doença humana, às vezes grave, e às vezes um sinal do desagrado divino ligado à impureza cerimonial, e à exclusão da comunidade. Em alguns contextos, sara´ath indica uma enfermidade que debilita e enfraquece as pessoas. A palavra sara´ath como é usada por médicos e leigos na moderna Israel, transmite a ideia de qualquer doença de pele repulsiva, inclusive lepra”.

     Devido a precariedade de medicamentos e tratamentos na época, era comum tomar atitudes drásticas em relação a lepra. Toda pessoa que tivesse alguma doença de pele era examinada pelo sacerdote (Lv:13,14). Ao constatar a lepra o enfermo era submetido a uma situação humilhante. “Quem ficar leproso, apresentando quaisquer desses sintomas, usará roupas rasgadas, andará descabelado, cobrirá a parte inferior do rosto e gritará: ‘Impuro! Impuro!’ Enquanto tiver a doença, estará impuro. Viverá separado, fora do acampamento.” NVI (Lv 13:45,46)

 

     Era uma realidade extremamente difícil, pois o homem ao qual Jesus tocou certamente tinha uma família, porém por causa da contagiosidade da doença, ele agora é obrigado a perder o convívio de sua parentela e amigos. Seu ciclo social foi reduzido a viver com outros leprosos. Agora não poderia vestir as suas roupas favoritas… o que lhe restou foram trapos, roupas rasgadas. Já não poderia pentear os cabelos pois era necessário rapar toda a cabeça. Por viverem fora da cidade é bem provável que os leprosos se alimentavam catando o que era jogado fora da cidade.

      Essa enfermidade não era bem vista por todos os judeus pois segundo as crenças, todo o leproso era considerado maldito por Deus, ou seja, quem contraiu a lepra foi castigado pelo Soberano e somente Ele poderia curá-lo. Pessoas que foram castigadas com lepra foram: Miriã (Irmã de Moisés) Nm 12:10; Geazi (O assistente de Eliseu) 2 Rs 5:27; O rei Uzias 2 Cr 26:10. Esses são os motivos pelos quais fortaleciam a crença do castigo da lepra. A lepra nem sempre era sinal de castigo.  Entretanto, um judeu dificilmente entendia isso. Portanto aquele leproso estava em uma situação de miserabilidade, pois era rejeitado por todos. Diante de tantas perdas é provável que aquele homem tivesse a auto estima baixa, pois perdeu tudo.

     Sobre esse leproso o Doutor Lucas traz uma informação muito relevante, ele informa: “E aconteceu que, quando estava numa daquelas cidades, eis que um homem cheio de lepra”[…] Lc 5:12ª. Essa informação indica que provavelmente esse homem estava em estado avançado de lepra. Ele morava fora da cidade. Jesus estava rodeado de uma grande multidão. Acredita-se que esse homem ouviu que Jesus curava todas as enfermidades. Isso gerou uma fé de transportar montes.

     Alguns teólogos afirmam que se alguém identificasse um leproso no meio do povo, aquele poderia ser apedrejado. Mas como a fé dele estava grande, ele não temeu a morte. Disso conclui-se que quando temos a fé em Deus não tememos nem a morte, nenhum perigo ou rumor nos abala.

Existem características nesse homem são dignas de destaque:

1ª Ele não temeu ser apedrejado, sua fé o motivava até chegar aos pés de Jesus.

2ª Ao chegar perto de Jesus a primeira coisa que ele faz é adorar.

E, eis que veio um leproso, e o adorou[…] O leproso demonstra que sua doença não o impede de adorar a Deus. Apesar disso, Muitos cristãos que estão cheios de saúde e que levam uma vida muito confortável, lamentavelmente não demonstram sequer uma gotícula de adoração a Deus. Ao adorar, o leproso reconhece Jesus como Deus, pois a adoração é devida somente à Deus.

3ª Apesar da grande necessidade, o leproso condiciona seu desejo à vontade de Deus: “Senhor, se quiseres[…]”

 4ª Ele creu que Jesus era onipotente.

[…] podes torna-me limpo. A fé do homem foi tamanha, que Ele creu que Jesus podia lhe curar. O Senhor pode todas as coisas.

     As atitudes daquele homem comoveram Jesus. Que imediatamente, tocou nele. Aparentemente, Jesus quebrou a lei de Moisés. Porém, não se trata de um homem qualquer, que ao tocar em coisas que são consideradas impuras, fica impuro. Ao contrário disso, aquele que é tocado pelo majestoso Mestre é Santificado pois Ele é Santo.

     Havia uma necessidade primeiramente espiritual na vida daquele homem. Ao ir a Jesus, o adorar e rogar. O Homem demonstra que recebeu uma cura em seu espírito. O fato de Cristo ter tocado Nele, era por causas das suas emoções abaladas. Há um Deus, que não se preocupa somente com nossa saúde física e espiritual, mas também, Ele cura as emoções. O toque de Jesus tem  vários efeitos.

     Aquele toque mudou o viver daquele homem. Pois ele foi curado no mesmo instante.  Diferente de muitas pessoas de hoje, Jesus era discreto e não queria a fama. Disse-lhe então Jesus: Olha, não o digas a alguém […] Mt 8:4 O desejo de Jesus era ser promovido pelo Espírito Santo e não pelos homens. No século atual muitos homens não seguem esse mesmo exemplo. Querem a glória, honra e louvor. Sempre propagam os milagres que fazem. O marketing em cima disso é muito grande.

O homem agora curado, alegre diante de Cristo ouviu uma instrução:

[…], mas vai, mostra-te ao sacerdote, e apresenta a oferta que Moisés determinou, para lhes servir de testemunho.

Jesus cumpriu a lei de Moisés que estava prevista no Livro de levítico 14:1-32

     É implícito, mas Cristo estava restituindo tudo o que aquele homem perdeu. Convívio com família, amigos. A liberdade, usar suas roupas, a auto estima. Não obstante passar tudo o que passou, um grande sofrimento. Porém, Cristo foi o seu socorro.

     Metaforicamente, falando a lepra se assemelha ao pecado. Só Cristo pode nos livrar do pecado. Assim como a lepra, o pecado começa, sutilmente com uma mancha, depois vai evoluindo e se espalhando para todo o corpo a ponto de contagiar outras pessoas. Como a lepra, o pecado tira a beleza do homem. O pecado tira a beleza de Deus das vidas. A lepra debilita, o pecado também. Debilita de tal maneira que o homem no pecado não pode caminhar nos caminhos de Deus. A lepra se não tratada mata, do mesmo modo o pecado se não levado a Cristo, levará o homem a morte espiritual e física. Jesus é a cura para todas a nossas necessidades, sejam elas físicas, emocionais ou espirituais.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

  • Bíblia de Estudo Louvor e Adoração, NVI. SRG, 2007.
  • Bíblia Sagrada Mover de Deus, ACF. GÊNESIS EDITORA, 2011.
  • BOYER, Orlando. Pequena Enciclopédia Bíblica. CPAD, 2008.
  • CHAMPLIN, Russel Norman. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. Hagnos, 2011.
  • PFEIFFER, Charles F; VOS, Howard F; REA, John. Dicionário Bíblico Wycliffe. CPAD, 2011.

 

Poderá gostar também: